Av. Pasteur nº 233, 1º andar, Parque Anhanguera, Goiânia CEP: 74340-570
(62) 3996.9600
sac@syncode.com.br

Qual é o investimento inicial para abrir minha farmácia ou drogaria?

Qual é o investimento inicial para abrir minha farmácia ou drogaria?

No caso do investimento inicial, muitas são as situações a considerar. Mas, antes de desembolsar o primeiro Real, pesquise, estude e relacione todas as despesas que terá, por exemplo, com o imóvel, instalações, equipamentos, contratações de serviços e de empregados, treinamento, documentação, legalização da empresa etc.

Por mais minucioso que for na definição dos gastos que deverão compor seu investimento inicial, tenha certeza que, ao iniciar a montagem da farmácia, surgirão situações que não foram imaginadas antes. Portanto, reserve uma boa quantia de dinheiro para estes imprevistos.

Lembre-se também do capital de giro para os primeiros meses de operação. Este será o dinheiro que precisará para pagar empregados, aluguel e despesas como luz, telefone etc. Além disso, será necessária uma reserva de capital para suportar períodos iniciais com baixo volume de clientes.

É de fundamental importância ter certeza de quanto vai gastar para montar a farmácia e quando terá de efetuar cada pagamento.

O ideal é que você forme um quadro como este, com o maior detalhamento possível, e complemente-o na medida em que for se inteirando dos aspectos reais do empreendimento nesta fase de estudo do negócio.

Pense neste quadro como um grande mapa: quanto mais completo e detalhado for, mais acertado será seu planejamento e menor serão as chances de surpresas desagradáveis com falta de recursos. Saiba que erros no dimensionamento do investimento inicial, que provoquem falta de recursos, costumam ser causas de insucesso de muitas iniciativas. Não caia nesta armadilha.

Quando sua farmácia começar a funcionar, você terá ainda três famílias de gastos: custo variável, despesas fixas e despesas comerciais. Embora realize pesquisas e estudos para entender e dominar completamente este assunto, você vai se deparar com outras expressões como custo direto ou custo indireto, custo fixo etc.

Mas para uma adequada avaliação e gestão do negócio, basta a estruturação em custos variáveis e despesas fixas, além das despesas comerciais que veremos a seguir. No entanto, como esta é a etapa de elaboração do Plano de Negócio, a fase de avaliar se o empreendimento que deseja montar será lucrativo ou não, se será viável ou não, é necessário realizar estimativas dos custos e despesas que ocorrerão com o funcionamento da farmácia.

Quando a empresa estiver funcionando, será necessário desenvolver um processo seguro para apurar e manter estes gastos sob controle. A razão de tudo isso é simples de entender: sua farmácia será viável e compensadora se for capaz de gerar lucro. Lembra-se do que afirmamos no início? Seu negócio precisa gerar um montante de lucro que você possa considerar compensador.

Os custos variáveis são gastos que ocorrerão em função da aquisição de algum produto para comercialização aos clientes e você conseguirá (tem que conseguir), nesta fase de Plano de Negócio, estimar o valor do custo variável para cada produto.

E quando a empresa estiver funcionando você conseguirá apurar estes custos também por produto. Ex.: custo dos produtos que comercializar, pagamento de profissionais especializados.

Já as despesas fixas são todos os gastos que a farmácia terá em sua operação, não relacionados diretamente a nenhum produto ou serviço. Inclui aluguel, gastos com manutenção, custo da administração (como salários, materiais de consumo, luz, água, telefone etc.).

As despesas comerciais são os gastos que ocorrerão todas as vezes que sua farmácia obtiver mais clientes etc. Portanto, são despesas que variam conforme o volume de vendas e o volume de clientes. Normalmente, são os impostos e as contribuições. Mas, podem ocorrer outras despesas como taxa de administração de cartão de crédito (se receber pagamentos com cartão), a CPMF para valores recebidos em crédito na conta corrente entre outros. Deve-se dar atenção especial aos impostos e contribuições. Recomendamos que desde já, desde o Plano de Negócio e também no funcionamento da empresa, você procure entender e praticar cálculos dos impostos e das contribuições.

Procure ainda, entender perfeitamente a mecânica de cálculo, de apuração e os efeitos sobre o preço de venda dos produtos.

    1. ✓ Quais são os impostos e contribuições que incidirão na operação da farmácia?
    1. ✓ Como são apurados?
    1. ✓ Em que momento?
    1. ✓ Quando devem ser pagos?
    1.  ✓ Quais são as opções para pagar menos impostos?
    1. ✓ O que é crédito de imposto?
    1. ✓ Como utilizar crédito para reduzir o imposto a pagar?
    1. ✓ Quais os riscos de calcular erradamente os impostos?
  1. ✓ Como tratar os impostos e contribuições no preço de venda?

No entanto, tudo que sua empresa gastar em custos e despesas você deverá receber de volta com a receita obtida nas vendas, a qual é resultante da venda de cada produto ou com cada cliente.

Isso significa que cada unidade vendida deve pagar parte dos custos e despesas, tal que, ao alcançar um certo volume de venda, seja produzido um volume de receita suficiente para cobrir todos os custos, despesas e ainda gerar lucro.

Assim, a pergunta é: quanto de custo variável, despesas fixas, despesas comerciais e de lucro deve ser alocado no preço de cada produto consumido pelos seus clientes? Ou seja, quanto cada venda deve contribuir para pagar estes custos, despesas e ajudar a formar o lucro?

Fonte: SEBRAE

9 Responses

  1. Tenho interesse na abertura de uma farmácia

  2. Qual a media em porcentagem, tenho interesse na abertura de uma farmácia.

    • Olá João Batista, bom dia. Ficamos felizes em saber que você tem interesse em abrir uma farmácia e desejamos a você, sucesso na realização do seu negócio. Sobre seu questionamento em relação a porcentagem, indicamos a você baixar esse e-book que preparamos a pouco tempo atrás: http://conteudo.unifar.com.br/8_dicas_decisivas_abrir_sua_farmacia_ou_drogaria

      Este material, contém essa resposta e mais varias outras dicas para quem está pensando em começar um negócio no ramo de farmácias e drogarias. Esperamos que este material possa te ajudar e quaisquer dúvidas e questionamentos que possam aparecer, nós do Sistema Unifar estaremos sempre a disposição.

  3. Alberto Alves disse:

    Tenho interesse em iniciar no ramo farmacêutico, pode me mandar o material desse e-book.
    grato.

  4. Alex de Paiva disse:

    Tenho interesse em atuar nesse ramo de farmácia, poderia me fornecer algumas dicas, tipo esse e-book, pois seria a farmácia de bairro, se puder me dar algumas informações?

  5. Olá! Já tenho uma farmácia! Gostaria de sugestões de estratégias para venda e fixar cliente e meio a tão grande crise!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *