fbpx
Av. Pasteur nº 233, 1º andar, Parque Anhanguera, Goiânia CEP: 74340-570
(62) 3996.9600
sac@syncode.com.br

O papel do Gerente na Farmácia.

O papel do Gerente na Farmácia.

No atual estágio do comércio, o gerente independente, não importa a empresa ou ramo de atividade, existe para alcançar resultados — pois gerenciar é decidir o que fazer e conseguir que isso seja executado por sua equipe.

Mas os gerentes não podem delegar tudo e, muitas vezes, devem se envolver pessoalmente e contar com seus próprios recursos para que as coisas aconteçam. Esses recursos podem ser: experiência, habilidades, competências e o timing pelo qual estes devem ser empregados para comandar e estimular as pessoas, compreendendo as mais diversas situações geradas no dia a dia.

No mundo corporativo, mudanças são frequentes. Para estar em condições de competir, a empresa necessita, constantemente, fazer alterações e melhorias, seja em seus serviços, produtos, tecnologias utilizadas ou mesmo em sua estrutura interna, de tal modo que isso poderá afetar algumas operações existentes, e, por consequência, o funcionário. Por essa razão, é importante que o funcionário se adapte facilmente às mudanças, assimilando rapidamente o que for necessário, sem acusar queda em seu desempenho por causa disso. Nesse caso, é necessário equilíbrio emocional para assumir suas tarefas de forma satisfatória, mesmo diante de pressão. Ainda nesse aspecto, espera-se que ele se antecipe aos problemas, trazendo soluções. A iniciativa pessoal é fundamental para que isso ocorra, bem como a facilidade de lidar com diferentes situações de stress corporativo.

Estudos indicam que os gerentes gastam seu tempo em atividades caracterizadas pela fragmentação, brevidade e variedade. Isto acontece por algumas razões:Gerentes lidam com pessoas. Sabemos que o comportamento das pessoas é imprevisível; suas exigências e respostas são condicionadas pelas circunstâncias e pressões às quais têm que reagir, por seus desejos e necessidades individuais. Surgem então conflitos que devem ser solucionados.

Os gerentes muitas vezes não controlam os fatos que afetam seu trabalho. Demandas súbitas são impostas de dentro e de fora da empresa e podem ocorrer situações que eles são incapazes de resolver. Espera-se que os gerentes sejam decisivos e lidem com as situações à medida que surjam. Portanto, as prioridades constantemente são abandonadas ou modificadas.

Com frequência, trabalham em condições de turbulência e ambiguidade. Portanto, muitas vezes tendem a ser reativos em vez de proativos, pois não sabem claramente o que se espera deles quando surgem novas situações.

Diante da realidade, percebemos que os gerentes estão sujeitos a constantes interrupções e frequentemente trabalham sob pressão. Têm pouco tempo para pensar a respeito de planos e prioridades e precisam gerenciar em condições de turbulência, ambiguidade e incertezas, ou seja, têm muito pouco tempo para pensar e muito para executar, o que delimita sobremaneira sua possibilidade de visualizar oportunidades e ameaças para a farmácia.

O gerenciamento é um processo que existe para obter resultados, fazer com que as tarefas sejam executadas, obtendo o melhor uso possível dos recursos humanos, financeiros e tecnológicos. Os gerentes, em geral, não são tomadores de decisão lentos e metódicos, mas executores que precisam reagir rapidamente aos problemas, à medida que surgem no dia a dia no balcão da farmácia.

Destacamos algumas qualidades e características comuns aos gerentes de sucesso:

• Conhecimentos profissionais relevantes.
• Sensibilidade continuada aos eventos.
• Disposição para trabalhar num ambiente dinâmico.
• Habilidades analíticas, para a resolução de problemas e a tomada de decisões.
• Tomada de decisões em condições de ambiguidade.
• Habilidades sociais.
• Resiliência emocional (para lidar bem com a pressão).
• Proatividade.
• Criatividade.
• Resolução de conflitos.
• Autoconhecimento.
• Perseverança e determinação.
• Hábitos de aprendizado.
• Disposição para assumir riscos.
• Capacidade de inspirar entusiasmo.

Vale destacar ainda que o gerente é avaliado não só pelos resultados, mas também pelo nível de conhecimentos e competências que atingiu durante sua vida pessoal e profissional.

Além disso, o gerente também poderá ser julgado pelo modo como executa seu trabalho – ou seja, como se comporta usando seus conhecimentos e habilidades. Muitas farmácias definem estruturas de competências exigidas para medir o sucesso dos seus profissionais. Os gerentes que desejam progredir precisam desenvolver essas competências e conhecer os tipos de comportamentos que são esperados deles. Exemplo de estrutura de competências:

• Orientação para resultados
• Identificar e explorar oportunidades de negócio
• Comunicação
• Foco no cliente
• Desenvolvimento do pessoal
• Liderança
• Planejamento
• Resolução de problemas
• Trabalho em equipe.

Fonte: ABCFARMA

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *