fbpx
Av. Pasteur nº 233, 1º andar, Parque Anhanguera, Goiânia CEP: 74340-570
(62) 3996.9600
sac@syncode.com.br

Manter um estoque alto ou baixo?

Manter um estoque alto ou baixo?

Assim como todo medicamento possui uma posologia correta, o estoque de uma drogaria deve ter também a sua “posologia”, ou melhor, sua quantidade correta. Mas então, devo manter um estoque alto e descapitalizar ou manter o estoque baixo correndo o risco de perder vendas?

Algumas informações são essenciais para que essa pergunta seja respondida. Primeiramente é muito importante conhecer os hábitos dos clientes.

  • São clientes de passagem ou moradores da região?
  • Há jovens ou aposentados na região?
  • Há hospitais, clínicas, consultórios próximos?
  • Qual o perfil de prescrição dos médicos locais?
  • Há diferença de acordo com as estações do Ano (sazonalidades)?

Com essas respostas em mãos fica mais fácil identificar quais produtos devem compor seu estoque.

O tempo que esses medicamento devem compor o estoque, pode ser definido através de informações históricas quantitativas, de meses e até anos anteriores.

Uma ferramenta que pode ser utilizado também é a Curva ABC. A Curva ABC é um método de valorização dos estoques, baseado em quantidades e custos unitários de venda diária. Consiste em classificar o estoque em categorias denominadas A, B ou C.

  • Na Categoria A: ficam os itens com alto retorno, devem ser tratados com atenção especial. São de alto giro e ocupam até 20% do estoque, garantindo 70% do faturamento. Todos na farmácia devem saber que são tais produtos que garantem o maior faturamento da loja.
  • Na Categoria B: ficam os produtos intermediários, com retorno e rotatividade médios, ocupando cerca de 30% do estoque e respondendo por até 20% do faturamento. Os compradores devem ter atenção a esses produtos, para evitar faltas, pois podem influenciar o volume de vendas.
  • Na Categoria C: estão agrupados os itens menos importantes em termos de venda, correspondendo a até 70% do estoque e somente 10% do faturamento. Embora sejam mais numerosos, esses itens possuem um valor inexpressivo em relação ao valor total do estoque.

Importante lembrar que esses números referem-se à variedade de itens e não à quantidade de cada um deles.

Se deseja trabalhar com a quantidade correta mínima do estoque, considere o número de venda média diária e o prazo de reabastecimento dos laboratórios e distribuidores para cada produto. Para isso pode ser utilizado a seguinte fórmula:

EM = NMV x TEP

Onde temos:

EM – Estoque Mínimo

NMV – Número médio de venda Diária

TEP – Tempo de Entrega do Produto

Ex:

Média de vendas diária do produto = 8

Tempo de Entrega do Produto = 2 dias

EM = 8 x 2

EM = 16

Ou seja, para manter o um estoque mínimo desse produto, é necessário que se tenha 16 unidades.

 

Fonte: Neoquimica

2 Responses

  1. welves disse:

    muito bom, valeu estarei sempre acompanhado todas as noticias e informaçoes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *